jump to navigation

Amazônia com brilho de fogo janeiro 13, 2009

Posted by vladhomobono in Protestos.
3 comments

Ser filho da Amazônia é o que há!
Tenho orgulho da minha terra!
Pará lugar da Cabanagem, berço de rios com marés, incontáveis especies de animais, do tacacá, da maniçoba, do açaí e com um povo amigável.
Do Acre a metade do Maranhão de Roraima até o norte do Mato Grosso a Amazônia tão linda nos encanta e acolhe.
Infelizmente nem tudo é beleza. Muitas árvores derrubadas, rios açoriando, animais morrendo e etc. Muitos donos de hectares e hectares de terra nem da Amazônia são e estão destruindo com ela! Isso tem que acabar. Não tem conciencia pois não são dele lá e quando tudo acabar vão embora deixando apenas um buraco igual na Serra do Navio no Amapá.
Governantes abram os olhos antes que tudo vire em nada e um brilho se apage e o outro brilho se alastre

Anúncios

E mais Violência entre A-lunos novembro 21, 2008

Posted by vladhomobono in Protestos.
Tags: , , , ,
5 comments

Tava dando um olho nas notícias e vejo:
“Onda de violência nas escolas de Belém preocupa pais, alunos e educadores”
Noticia retirada do site globo.com falando sobre as constantes agressões nas escolas de Belém. A matéria em sí fala de uma eterna rivalidade entre escolas. No texto só fala da Escola Estadua Paes de Carvalho mas aparecem claras imagens sobre o Instituto de Educação do Estado do Pará. Existe uma rivalidade antiga entre as duas escolas mas antes eram apenas sobre Bandas Marciais… agora virou uma rivalidade muito maior. Os a-lunos de uma escola tem medo de andar com os uniformes pois podem sofrer represalias dos a-lunos das outras escolas. Sempre houve isso mas parecia que ninguem via e quem acaba sofrendo são os professores e os alunos que ainda vêem a escola como centro do conhecimento. Segue a Matéria:

A rivalidade entre alunos de escolas públicas de Belém virou caso de polícia. O problema ficou tão grave que muitos estudantes têm medo de andar na rua com o uniforme do colégio. As brigas têm dia e hora marcados. Tudo acontece na saída da escola e os alunos estudantes acompanham as brigas.
Os alunos contam que brigas na rua viraram rotina. Uma menina diz que os estudantes usam pedras, rojões e dão socos nos rivais.

De acordo com a Polícia Militar, 143 ocorrências foram registradas em escolas da capital do Pará Belém só este ano. Várias armas foram apreendidas com estudantes. Para tentar reverter a situação, a polícia quer ampliar o patrulhamento e as operações nos colégios.
Neste ano, uma adolescente foi morta a facadas dentro da sala de aula por outra estudante. Soraia Barbosa Marinho tinha 15 anos. Segundo o pai, ela foi assassinada depois de discutir com a outra aluna durante o intervalo.

“Eu não me conformo, não aceito que qualquer aluno venha morrer dentro de uma sala de aula. Não tem lógica, isso não tem cabimento”, diz o pai da vítima, o técnico em eletrônica Josias da Silva Marinho.
Em uma escola, as crianças e jovens usam mensagens de paz no uniforme. E a diretora faz um apelo para que os pais conversem com os filhos. “Dentro da escola, somos responsáveis, mas lá fora a família é responsável por esses jovens”, diz Evangelina Sampaio Benassuly.


http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL870604-5598,00.html

É triste…

Educando novembro 17, 2008

Posted by vladhomobono in Protestos.
Tags: , , , , , , , ,
1 comment so far

To postando um e-mail que recebi da minha mãe ao levantar questionamentos de como estava a educação em Belém do Pará. Lembro que tinha acabado de ocorrer um assassinato em plena sala de aula em uma escola da região metropolitana de Belém. Recordo também que na mesma semana ouveram mais uns 3 e isso estava ficando preocupante. Segue o texto que mandei e a resposta:

“Eu tenho defendido por anos que a educação no Brasil está piorando cada vez mais. Mas não por causa de professores desqualificados, quem fala isso não sabe o que existe no meio educacional. Fora a grande disfunção brurocrática para se resolver problemas, os alunos não ligam mais para a escola.
Há alguns anos estudar era algo de extrema importancia hoje é apenas um passa tempo ou algo para se ter um passe fácil(meia passagem) ou carteira de estudante.
É claro que exitem casos que não podemos aplicar isso, mas infelizmente hoje os alunos estão depredando quadros, cadeiras, banheiros, quadras de esporte e, agora, até professores. O que antes era afronta verbal hoje(claro que não é de hoje) o que se vê é a agressão fisica!”

Ela respondeu:
“Minhas reflexões…
Na verdade a educação no Brail já se tornou um caso de calamidade pública, todos os políticos vão resolver no entanto política pública  para a educação ainda está a desejar. É preciso investir em propostas que assegurem  um tempo maior dos alunos na escola, mas não para os alunos servirem de depósito de conteúdos sem significado. A escola deve ser extensão da comunidade, da família. A escola sozinha não muda nada, preciso trazer a família e a comunidade local para a escola. E isso não é estilo “oba – oba” tem que ter disciplina, regras, responsabilidade. A escola não deve abrir as portas para a comunidade/família só pra dar obra, ações, ou qualquer coisa… mas é partilhar responsabilidades de construir uma educação
pautada na solidariedade, no cooperativismo, na partilha, na paz, sem medo de ser feliz. Partilho da sua idéia que a grande responsável pelos alunos é a sua família. E que hoje a família está desestruturada, é preciso um repensar na escola em como contribuir para um “novo refazer” no sei das famílias, pois é quem fica um tempo maior com os alunos….”

Semana passada em São Paulo alunos depredaram a escola e passado alguns dias… lá estava a população culpando o corpo docente. Não consigo entender essas coisas… Espero que um dia, depois de muita luta, a escola volte a ser referencia para os alunos.

Educação novembro 9, 2008

Posted by vladhomobono in Protestos.
Tags:
add a comment

Pleito realmente necessário para a valorização do ser. Digo valorização não financeiramente mas gratificantemente. Nada como o saber, nada como o entender e o buscar entender. O saber está relacionado com o quanto você já entendeu e buscou entender o entender está relacionado com o como você entendeu e o buscar entender é a forma com o que você faz. O como você faz pode ser atravez de um livro, artigos, revistas, experiências, relacionamentos cotidianos(famila, escola, o ato de pegar um ônibus, etc) e enfim… Mas quem sempre estará relacionado nisso tudo é o professor.
Professor podendo ser o profissional ou algum com bastante experiência às vezes nem graduação tem mas é um PROFESSOR. Atualmente estão confundido o professor com o Pai, Mãe, tio ou algum familiar pois já li muitos textos e algumas reportagens falando de que os professores estão despreparados para atuar pois não conseguem chamar a atenção dos alunos. Mas será que isso tem haver com o preparo dos professores?
Atualmente as condições precarias das escolas, bibliotecas públicas e afins deixam a desejar e o que falar sobre a organização familiar que é a base para se ter uma boa educação? Ah ninguem lembra é mais fácil colocar a culpa na pessoa que, muitas vezes, já está desmotivada mas está sempre ali tentando ajudar mesmo ganhando pouco e com muitos, muitos mesmo, alunos que não querem receber uma luz.
Eu sei que alguns querem… querem ficar com suas meias passagens, pagar meia entrada em cinemas e afins e outros terminar o ensino básico ou médio para ter um emprego melhor. Mas grande parte deles não ligam e nem sabem o motivo de sua presença na instituição de ensino. Sendo assim os  A-lunos vêem a escola como um prédio com bastante gente e só. Nas públicas a marginalidade está tomando conta de tudo é A-lunos batendo em A-lunos, A-lunos matando A-lunos, A-lunos batendo em professor, A-lunos roubando professor e assim vai…
Mas de quem é a culpa? Cai logo pro cordo docente ou para a diretoria que são ameaçadas por esses marginais e tem medo de se expor. Ninguem lembra de como aquele A-lunos foi criado sem a educação primordial (na familia) e ele não teve acesso ao certo e ao errado e cresceu com isso. Aí quando chega na escola, muitas vezes, os professores não podem fazer muita coisa.